No decorrer dos séculos na Europa e na América, havia ordens e associações de vários tipos, alegando que sua descendência direta dos Templários, e referindo-se, nos seus rituais, as obras e as regras, as da famosa Ordem (cf. G . Ventura, T. e Templarismo …; M. Lo Mastro, T. .. Dossier e B. Blandre, L’ordre …, v. bibl.). No entanto, a proposta de filiação direta com a velha ordem é completamente infundado, historicamente e juridicamente falso e, mesmo assim, um possível reaparecimento da Ordem (teoricamente possível) deve passar pelo Santa Sé.
Diferentes, pelo contrário, é o estatuto da fundação criada em 1979, em Poggibonsi (Siena – Itália), por iniciativa do Conde Marcello Alberto Cristofani della Magione. Ele deu vida a uma associação de leigos que se referem aos ideais e estilo de vida descrita por S. Bernardo em Liber ad Milites Templi de laude novae militiae aos Templários (não tem uma filiação direta com a velha ordem), e efeitos especiais são propostas como o respeito à liturgia e da recitação do Ofício Divino, o aprofundamento da espiritualidade e da cultura da cavalaria cristã, o cuidado com os peregrinos e ao apoio moral e material dos outros, especialmente dos cristãos na Terra Santa, e da educação dos jovens. Civil honrar a 21.9.1979, a associação com suas constituições e tipo de cavalheiros com referências explícitas à velha ordem, foi aprovado (8.9.1988) pelo arcebispo de Siena, Monsenhor Mario Jsmaele Castellano, como uma associação privada de fiéis, sob a título de “Milícia do Templo” (Ordo Militiae Christi Templique Hierosolymitani). Em 24.11.1989 o mesmo Bispo castelhano aprovou emendas à Constituição, enquanto a 18/11/1990, a nova Ordinária do Siena, Monsenhor Bonicelli, aprovou a regra, sob o título “Regra dos Pobres Cavaleiros de Cristo, da Ordem dos Milícia do Templo”, tirado de que a velha ordem e adaptados para o presente. Enquanto isso, 13.9.1989, João Paulo II havia concedido in perpetuum uma série de indulgências plenárias para a apreciação dos destaques da vida dos cavaleiros.
Com base na regra, a milícia “novo” inclui três categorias de sócios: os cavaleiros com a profissão solene, que se dedicam à polícia perpetuamente a investidura ea promessa de respeitar os três conselhos evangélicos clássicos, juntamente com a declaração de fé pública (promessa quarto), e não cavaleiros professos (ou “obediência”), que ligam o dom de continuar a perfeição da vida cristã, as mulheres (senhoras) que, sendo a sua situação, queremos colaborar de alguma forma com a milícia, sempre sob a autoridade do grande mestre da milícia, a terceira categoria é a dos homens e mulheres que, devido à sua idade e inexperiência, não são considerados prontos para assumir a responsabilidade final: eles servem em nas fileiras da milícia como doados, fazendo apenas uma promessa temporária que é renovado a cada três anos. Para a admissão à profissão e à investidura é necessário noviciado de pelo menos um ano e mais de 21 anos.
Pode ser incorporado a milícia também os adultos que ainda partilhado os seus ideais, pode ou não quer comprometer-se a “capelães Rule ‘, elas são aceitas vir (bispos e padres), ou” decoração “(merecedores), ou estar inscrito como amigos.
De acordo com as regras e constituições, a milícia é chefiado pelo Grande Mestre (Mestre dos Pobres Cavaleiros de Cristo, duque da Milícia do Templo), eleitos a cada três anos, o capítulo dos treze cavaleiros da justiça (consulta).
No capítulo geral, composto por senhores e senhoras, é para a tarefa legislativa, a consulta (ou tribunal de honra), o acompanhamento da disciplina e controle, o conselho grande mestre do convento, o estabelecimento da política do governo .
Os órgãos centrais são acompanhados por 5 ministérios para o exercício das funções da milícia: o episcopado (o geral é nomeado prelado a cada três anos pelo arcebispo de Siena) para a formação espiritual e doutrinal, o vice-gerência geral de gestão de disciplina, convocar e regulamentam a eleição do novo grão-mestre, a preceptoria geral (capitão) para a formação e ideais de cavalaria, o mestre de chancelaria do governo, da administração e da disposição geral, o Governo para a manutenção da sede principal e conservação do património.
A regra determina apenas a recitação das Vésperas comum (os cavaleiros professos do breviário são necessários por dia), mas está estudando a possibilidade de criar também abriga a vida no convento.
Os cavaleiros com a profissão solene (clero) ou obediência (secular) urso, se for caso disso, o hábito branco, composto de uma túnica, um escudo com uma cruz vermelha octogonal no peito e um manto, onde a mesma cruz é colocada no ombro esquerdo, as senhoras, um véu branco com a cruz sem a parte superior do braço, os capelães, uma capa branca com borda e cruz vermelha octogonal botões na parte frontal esquerda. Os outros hábitos não se inscreveram, apenas a decoração ou logotipo.
A tropa é suportada financeiramente por contribuições da sociedade, com doações de entidades públicas e privadas e com a actividade se desenvolve.
Atualmente, a milícia, com trinta cavaleiros com a profissão solene, com algumas centenas de cavaleiros, em obediência e muitos inscritos nas outras categorias, tem sido uma dúzia preceptories nacional (Grande Priorado) e muitos conventos locais e embalagens, promovidos e grupos afiliados, escuteiros e as organizações juvenis na Itália e no exterior. A Sé Magistral localiza-se no Castello della Magione Poggibonsi (Siena), um extraordinário complexo românico do século XI monumentos pertencentes aos templários e 1312, quando foram suspensas, o Hospital de S. João de Jerusalém, depois de ter passado pelas mãos de vários donos, 20.1.1979 foi comprado pelo Conde Marcello Alberto Cristofani della Magione, que fez a doação de bens do comandante do quartel-general da milícia do Templo, que seria no futuro.

Sé Magistral: Castello della Magione – 53036 Poggibonsi, Siena – Itália.

Bibliografia

G. Ventura, T. e templarismo, Roma 1980 (prima ed. 1964); B. Blandre, L’Ordre des chevallers du Temple, du Christ et de Notre Dame. Association ou Ordre religieux esotérique?, in Praxis juridique et religion 3 (1986) 158-63; M. Lo Mastro, Dossier T. 1113-990, Roma [1990]; G. Mantelli, La Magione. Casa t. sulla via Francigena, Poggibonsi 1990; Regola dei poveri Cavalieri di Cristo dell’Ordine della Milizia del Tempio, ivi 1992.

As informações sobre o envio Poggibonsi,
Sé Magistral da Milícia:

Castello della Magione, 1 – 53036 Poggibonsi (Italia)
Tel.: +39 – 0577 – 936009
Fax.: +39 – 0577 – 992363
E-Mail: info@ordo-militiae-templi.org.

Utilizzando il sito, accetti l'utilizzo dei cookie da parte nostra. Maggiori informazioni

Questo sito utilizza i cookie per fornire la migliore esperienza di navigazione possibile. Continuando a utilizzare questo sito senza modificare le impostazioni dei cookie o cliccando su "Accetta" permetti il loro utilizzo.

Chiudi